Azáfama, stress e consumismo

Pois é, estamos novamente naquela altura que não passa ao lado a ninguém. Quer gostemos ou não do natal, é impossível não dar por ele. A publicidade nos media, nas redes sociais, na rua, luzes, música, mercados, eventos, as pastelarias de banca montada, etc…
Quanto mais perto da data em questão maior a azafama e maior a confusão. Se necessitarmos de ir a uma grande superfície comercial torna-se muito complicado. Muitas pessoas e muito tráfego pois infelizmente a maioria das pessoas não consegue (mesmo ao fim de semana) não agarrar no carro… Mesmo que o centro comercial seja logo ali ao lado.

Com o passar dos anos parece que o consumismo das pessoas aumenta cada vez mais. Em grande parte por influenciação (e muitas vezes nem pensamos sobre isso ou nem nos apercebemos), mas a mentalidade de muitas pessoas está a mudar… E ainda bem!

Um dos princípios da Miristica é a sustentabilidade!
Sugestão de Oferta Sabão e Saboneteira

O Natal é uma época de partilha e de união

Nesta altura revemos muitos dos nossos amigos e familiares e demonstramos o quanto estes são importantes para nós.
No entanto, esta é uma época em que o consumo desenfreado é promovido e a publicidade a que estamos expostos todos os dias leva-nos a crer que temos de nos superar ano após ano, oferecendo cada vez mais prendas e gastando cada vez mais dinheiro em compras impulsivas e excessivas.
Queremos celebrar esta época por aquilo que realmente merece ser celebrado e incentivar-te a pensar conscientemente naquilo que vais oferecer, reduzindo o stress nas compras de Natal e poupando dinheiro.

Tenta fazer por ti, pelos teus e pelo planeta!

Tornar o Natal mais Sustentável

Ecologia e Menos Desperdício

Será possível tornar o Natal numa época festiva com menos desperdício e menos impacto ambiental? Nós acreditamos que sim e é assim que celebramos o nosso Natal, mantendo a nossa pegada ecológica bastante reduzida e tentando influenciar positivamente quem nos rodeia.

O Desafio

Tornar o natal mais ecológico e sustentável, reduzindo o stress e o consumo desenfreado. Podemos reduzir drasticamente a nossa pegada ecológica e dar o exemplo, incentivando de uma forma positiva os nossos amigos e familiares a fazer o mesmo.

A Solução

Adoptarmos algumas medidas que fazem uma grande diferença para reduzir o desperdício. Estas podem ser a nível da escolha das prendas, da sua origem e dos seus embrulhos, mas também na escolha das decorações e na mesa de Natal.

Sugestões de Prendas Ecológicas,
úteis e duradouras

As melhores prendas são as que vêm do coração e que são escolhidas tendo em conta a pessoa que as vai receber. Por isso, mais vale oferecer qualidade em vez de quantidade, ou seja, menos prendas mas que sejam realmente úteis.

Para as prendas serem boas e valorizadas por quem as recebe não têm de ser compradas numa loja de renome. Podem ser obtidas a partir da reutilização de coisas que já temos em nossa casa e que não nos servem, ou podemos ser nós próprios a fazê-las (DIY).

Caso oferecer coisas que já se encontram nas nossas casas não seja uma opção ou não possamos fazer nós próprios as prendas, existem diversas soluções amigas do ambiente.
Tenta comprar de forma consciente seleccionando produtos sem embalagem (comprando avulso, por exemplo) ou com uma embalagem minimalista e de materiais ecológicos.

Aqui ficam algumas sugestões:

Oferecer prendas que sejam consumidas a curto prazo:

Bolachas, compotas, conservas ou outros produtos regionais comestíveis (veganos claro! :P); cosméticos artesanais como sabonetes ou cremes. Esta é uma boa solução que não requer gastar muito dinheiro e que não vai de certeza ficar “a ganhar pó” lá em casa.

Comprar de acordo com a necessidade de quem vai receber a prenda:

O factor surpresa é apreciado, mas se não soubermos o que uma determinada pessoa precisa, mais vale perguntar-lhe directamente e assim oferecer-lhe o que ela precisa. Na minha família sempre fizemos isso e não tem mal nenhum pois assim recebemos coisas que nos fazem realmente falta e nos deixam felizes.

Comprar localmente, a pequenos produtores e/ou em mercados de produtos sustentáveis:

É uma óptima forma de obter prendas duradouras e amigas do ambiente, ajudar pequenos produtores e artesãos que colocam o seu amor, energia e dedicação em cada produto que fazem e conhecer quem está por detrás da marca sabendo para onde vai o nosso dinheiro. Neste caso poderá ser importante sensibilizar quem recebe a prenda de que esta foi comprada conscientemente, procurando reduzir o seu impacto ambiental.

Comprar online artigos únicos e originais:

Dependendo do local onde vivemos, podemos não encontrar mercados de produtos sustentáveis e de artesanato. Online podemos encontrar uma grande variedade de produtos sustentáveis e artesanais, evitando ainda o stress das grandes superfícies comerciais e recebendo as prendas no conforto da nossa casa ou no nosso local de trabalho, por exemplo. Para reduzir ao máximo o desperdício, solicita o envio utilizando materiais ecológicos como papel em vez de plástico. Algumas lojas online têm até a preocupação de utilizar materiais de acondicionamento reutilizados (é o que fazemos na Miristica!) reduzindo ainda mais a sua pegada ecológica.

Vales Oferta
Oferecer vales, de preferência em formato digital ou em papel:

Sabes que aquela pessoa certamente vai apreciar os produtos de uma determinada loja, mas não sabes bem o que escolher? Oferece-lhe um vale e deixa-a escolher o que mais gostar!

Oferecer experiências em vez de produtos:

Se não sabemos se aquela pessoa necessita realmente de algum produto, porque não oferecer uma experiência? Pode ser um workshop, um jantar num restaurante, bilhetes para um espectáculo, uma noite num alojamento rural ou uma experiência radical, existem imensas possibilidades à escolha.

Embrulhos Ecológicos

Para que as nossas ofertas tenham o mínimo de impacto ambiental, o seu embrulho deve acompanhar a preocupação que tivemos na escolha da própria prenda.

A verdade é que a magia do embrulho desaparece em segundos: o papel de embrulho é rasgado e amontoado numa pilha.
No dia 25 e no dia 26 de Dezembro passamos ao pé dos caixotes do lixo e é lá que o encontramos, na maioria dos casos até no chão à volta dos caixotes.

Assim, há várias opções à nossa escolha para embrulhos com menos desperdício.

Embrulhos ecológicos
Embrulhos em papel:

Reciclável, reutilizável e/ou reciclado: utiliza papel de embrulho 100% reciclável e não plastificado. De preferência reutiliza papel que tenhas em casa, mas se decidires comprar, opta por papel 100% reciclado. Se fazes compras online, poderás receber papel Kraft ou papel pardo a acondicionar os produtos adquiridos. Este papel dá embrulhos muito bonitos e, caso venha amarrotado, os embrulhos ficam com um ar mais rústico, muito bonito na mesma. Um pequeno truque para aproveitar ao máximo o papel que tens à disposição é embrulhar primeiro as prendas grandes e depois as pequenas com as sobras.
Jornais, revistas ou até mapas: Caso os tenhas em casa e já não tenham uso ou estejam desactualizados, podes usá-los para embrulhar as tuas prendas ou recortar partes interessantes, imagens engraçadas ou palavras a destacar.

Embrulhos em Tecido:

Reaproveitamento de restos de tecido que há em casa: dão embrulhos económicos, bonitos e originais. Podem ser lençóis velhos, toalhas de mesa, lenços, t-shirts ou camisolas que já não vestimos. Desta forma damos uma segunda vida a estes materiais, ganhando espaço em casa. Caso as peças a utilizar tenham nódoas, podemos até tingir com pigmentos naturais. Utilizando a técnica japonesa de embrulho com tecido “Furoshiki”, podes embrulhar qualquer objecto, o resultado é muito bonito e não necessitas de fita-cola nem de saber costurar. No YouTube encontras vídeos a ensinar esta técnica. Caso gostes de costurar podes também fazer bolsinhas com bolsos ou meias para pequenos presentes.

Sacos de Algodão:

São uma excelente alternativa caso não tenhas tecidos para reaproveitar e evitam o desperdício pós-Natal (o próprio embrulho torna-se uma prenda), incentivando a aquisição de comportamentos mais ecológicos por parte de quem os receber, que os poderá reutilizar para ir às compras, armazenar cosméticos, mercearias ou até roupa e joalharia, consoante o tamanho dos sacos utilizados.

Decoração dos Embrulhos:

Cordel de fibras naturais: Utiliza fio de sisal, rafia, cânhamo ou algodão para atar os embrulhos. Desta forma não necessitas de fita cola e o embrulho fica muito mais bonito.
Ramos, folhas, flores e pinhas: ata-os com os um cordel para decorar os teus embrulhos.
Ervas aromáticas e especiarias: Alfazema, alecrim, paus de canela e estrelas de anis, por exemplo. Decoram os teus embrulhos e adicionam-lhes um aroma maravilhoso.

Etiquetas e cartões personalizados:

Podes fazer as tuas próprias etiquetas ou cartões para identificar a quem se destina a prenda e até incluir nestes uma dedicatória. Reaproveita pedaços de cartão de caixas de cereais, por exemplo, ou recorta cartolina. Ata-os ao embrulho com um cordel.

Decorações de Natal

Reutilizar materiais para as decorações de Natal ou optar por decorações duradouras que nos vão durar para vários anos é uma excelente forma de reduzir a nossa pegada ecológica durante esta época festiva.

Evitar os produtos de fraca qualidade que se usam num ano e já não resistem para o ano seguinte ou utilizar elementos naturais e 100% biodegradáveis.

Decorações de Natal
Árvore de Natal:

Tens plantas envazadas em casa? Escolhe uma destas e usa-a como “árvore de Natal”. Terás uma “árvore de Natal” muito original e viva, que nunca será igual de ano para ano! Entre festividades não terás que te preocupar em pensar onde arrumar a árvore de Natal pois já tem o seu lugar habitual. Além disso, é uma alternativa mais saudável do que as árvores artificiais que são geralmente feitas de PVC podendo libertar substâncias nocivas para a atmosfera.

Decorações:

Faz as tuas próprias decorações ou utiliza decorações de qualidade, em madeira ou tecido, por exemplo, para pendurar na árvore e/ou decorar a casa. Podes decorar a árvore com elementos comestíveis como bolachinhas de gengibre ou decorar a casa e a mesa de Natal com frutos, flores, folhas secas ou pinhas.

Luzes:

Se tiveres de comprar, opta por LEDs que são mais duradouros e económicos que as lâmpadas incandescentes ou flourescentes.

Mesa de Natal

Uma grande parte do desperdício gerado nesta época é o desperdício alimentar e por isso, a mesa de Natal não pode ser esquecida para um Natal com menos desperdício.
Durante muitos anos vi as mulheres da minha família a passar horas a fio na cozinha para preparar as imensas iguarias tradicionais de Natal. Eram filhoses, sonhos, fatias douradas e bolos diversos, e isto, só na parte da doçaria.

Simplificar as tradições é essencial para evitar o stress e o desgaste provocado por todo este tempo passado na cozinha.

Mesa de Natal sem desperdício
Apostar na qualidade em vez da quantidade:

Também aqui podemos aplicar esta regra. Cozinhar menos variedade de pratos e de sobremesas, nas quantidades adequadas para o número de pessoas à mesa, optando apenas pelos favoritos (que normalmente são os que se comem em primeiro lugar) vai simplificar bastante a nossa vida, deixar-nos mais tempo para estar com a família ou amigos e vai sem dúvida reduzir a probabilidade de desperdiçar comida.

Reduzir ou eliminar o consumo de ingredientes de origem animal:

O consumo de carne, peixe e derivados tem um grande impacto ambiental. Uma enorme parte das florestas que são devastadas visam o cultivo de soja e cereais para alimentar gado que é criado para obter carne. Assim, cada refeição em que evitamos o consumo de animais estará a contribuir para reduzir a desflorestação. O planeta agradece, a nossa saúde e os animais também.

Eliminar os descartáveis:

A utilização de loiça e talheres não descartáveis torna a nossa mesa de Natal muito mais bonita e requintada por si só, evitando logo à partida o desperdício de recursos preciosos. Mas podemos ir mais além: utilizar uma toalha de mesa em tecido e guardanapos em tecido permite-nos reduzir ainda mais o desperdício e no final da refeição, basta colocá-los para lavar, podendo ser reutilizados em tantas outras refeições.

Decorações comestíveis:

Decora a mesa com frutos secos e flores comestíveis. O resultado é muito bonito e original.

Relexão

É inegável que as alterações climáticas estão a acontecer e que é necessário mudarmos os nossos comportamentos e as nossas práticas. Apesar disso, a quantidade de lixo que produzimos continua a ser demasiado elevada e a quantidade desse lixo que é reciclada ou compostada é demasiado reduzida.

Estatísticas

Em 2018 foram produzidas em Portugal, 5.213 mil toneladas de resíduos urbanos (RU), mais 4% do que em 2017.

A média de resíduos produzida por habitante é de 507kg/ano.

  • Preparação para reutilização e reciclagem 2012 25%
  • Preparação para reutilização e reciclagem 2018 40%
  • Deposição de Resíduos Urbanos em Aterro 2012 62%
  • Deposição de Resíduos Urbanos em Aterro 2018 46%

Comparando com anos anteriores, verificou-se uma descida na produção de resíduos nos anos da crise, mas a partir de 2014 tem vindo a crescer todos os anos (dados obtidos no Relatório Anual de Resíduos Urbanos 2018 da Agência Portuguesa do Ambiente).
Apesar de estes dados serem anuais, sabemos que a quadra natalícia é a época do ano em que são produzidos mais resíduos. Por isso, é imperativo agir, reduzindo drasticamente a quantidade de lixo produzida e, quando não for possível evitar algum desperdício, reciclar ou compostar os resíduos que produzimos.

Ver relatório

Marca a diferença neste Natal e contagia os que te rodeiam, por um mundo melhor e com menos desperdício!
Tens mais sugestões para reduzir o desperdício durante a quadra natalícia? Partilha-as connosco nos comentários deste artigo.

Boas festas!

Subscreve a nossa Newsletter

Subscreve a nossa Newsletter

Fica a par de todas as novidades e recebe dicas e receitas no teu email!

Obrigada pela subscrição!

Share This