Entregas grátis a partir de 80 euros

Painel

Dia Mundial do Veganismo

1 de Novembro

Porquê esta data?

O dia 1 de Novembro é celebrado desde 1994 como Dia Mundial do Veganismo (World Vegan Day), quando Louise Wallis, presidente da Vegan Society do Reino Unido, o estabeleceu em comemoração do 50º aniversário da Vegan Society.

Esta data é actualmente celebrada por todo o mundo, como um momento para reconhecer o quão longe o movimento vegano chegou, refletir sobre os sucessos da comunidade vegana e destacar o quão acessível e benéfico é o estilo de vida vegano.

Actualmente este dia marca o início do Mês Mundial do Veganismo (World Vegan Month).

Veganismo

Este ano, tendo em consideração os enormes desafios que muitos de nós enfrentam devido à pandemia, esta data surge como uma oportunidade para reunir a comunidade vegana e fomentar a entreajuda. Adicionalmente, será também uma oportunidade para dar a conhecer formas mais económicas de manter um estilo de vida vegano, como parte da campanha “Live Vegan for Less”. Esta campanha tem vindo a ser dinamizada pela Vegan Society, dando a conhecer receitas e dicas para nos ajudar a fazer escolhas mais acessíveis e aproveitar ao máximo os alimentos, porque um estilo de vida vegano não implica gastar mais dinheiro, pelo contrário, pode até fazer com que consigamos poupar!

Queremos assinalar este dia falando um pouco sobre o que é o veganismo uma vez que a Miristica é uma empresa vegana e as pessoas que a constituem também o são.

Veganismo

Estilo de vida vegano

Mas, afinal, o que é isso do Veganismo?

Praticamente todos nós temos um amigo/a vegan, que sabemos que não come determinados alimentos.

Mas, a verdade é que o veganismo vai muito para além da alimentação!

O veganismo é definido como um estilo de vida em que se exclui, na medida do possível, o consumo e uso de qualquer produto de origem animal, seja na alimentação, no vestuário, cosméticos e outros produtos e hábitos do dia-a-dia [1].

Produtos que se excluem

O veganismo incentiva e promove o fabrico e o uso de alternativas aos produtos de origem animal.
Adoptar um estilo de vida vegano implica tomar consciência dos nossos hábitos e deixar de consumir ou de utilizar diferentes tipos de produtos de origem animal no nosso dia-a-dia.

O Veganismo exclui diferentes produtos de origem animal, dos quais se destacam:

  • Alimentos
  • Vestuário, Calçado e Acessórios
  • Produtos de Cosmética e Higiene
  • Produtos de Limpeza

Alimentação

Apesar do veganismo não se limitar à alimentação, normalmente é dentro desta área que se fazem as mudanças mais significativas. Assim, os veganos não consomem quaisquer alimentos de origem animal, como por exemplo carne, peixe, marisco, derivados de animais (lacticínios e ovos) e mel.

Para além destes, existem muitos ingredientes menos óbvios, como por exemplo os aditivos alimentares de origem animal (como, por exemplo, o corante alimentar vermelho E120).

Vestuário

Relativamente ao vestuário, também há que ter cuidado! Muitas roupas, calçado e acessórios são feitos com couro, camurça, lã e outros materiais de origem animal.
Quando entramos neste mundo, percebemos que existem animais em tudo!

Cosmética e Higiene

É também importante referir os cuidados a ter com produtos de uso pessoal, como produtos de higiene e cosméticos. Aqui, há que ter em conta dois fatores: os testes em animais e ingredientes de origem animal. Infelizmente, maioria dos produtos comercializados não cumprem pelo menos um destes critérios… assim, é importante procurar produtos não testados em animais e sem ingredientes de origem animal.

Alguns dos ingredientes de origem animal mais comuns em cosméticos são a cera de abelha, a lanolina, a baba de caracol e o colagénio. No entanto, existem excelentes alternativas para todos estes ingredientes, de origem vegetal e com óptimos resultados no cuidado da nossa pele e do nosso cabelo!

Também é necessário dar a devida atenção aos acessórios utilizados para aplicação dos produtos cosméticos e de higiene, como por exemplo os pincéis e as escovas de dentes ou de cabelo cujas cerdas são em muitos casos feitas de pelos de animais.

Produtos de Limpeza

Além dos produtos de higiene pessoal, também os detergentes e outros produtos de limpeza podem conter ingredientes de origem animal, ser testados em animais ou até ter efeitos nocivos para a vida marinha. Ler atentamente os rótulos é sempre importante, pois os produtos que contêm ingredientes que possam ser prejudiciais à vida marinha têm obrigatoriamente de o referir sob a forma de aviso, no entanto, por vezes pode ser mais difícil de perceber se contêm ingredientes de origem animal ou se são testados em animais.

Tal como nos produtos cosméticos e de higiene, também no caso dos produtos de limpeza é necessário ter atenção aos utensílios utilizados para a sua aplicação, como escovilhões e esfregões, que muitas vezes são feitos com pelos de animais.

Práticas que se excluem

Adoptar um estilo de vida vegano implica não compactuar com qualquer forma de exploração animal, promovendo o respeito pelos animais, o seu bem-estar e os seus direitos enquanto seres sencientes.

O Veganismo exclui diferentes práticas que envolvem a exploração animal, das quais se destacam:

  • Entretenimento, cultura e religião
  • Desportos envolvendo animais
  • Comercialização de animais
  • Experimentação laboratorial
Cão

Entretenimento, Cultura e Religião

Os ingredientes e produtos de origem animal estão mesmo em todo o lado, mas existem também muitos hábitos que não são “vegan-friendly”.
Aqui enquadram-se os locais que usam os animais para entretenimento, como os circos, oceanários e jardins zoológicos; e também as práticas culturais e/ou religiosas que fazem uso dos animais, como por exemplo as touradas.

Desportos envolvendo animais

Existem ainda muitos desportos que envolvem animais: desde os mais obvios como a caça e a pesca a qualquer outra prática desportiva que envolva a utilização de animais, como por exemplo a equitação ou as corridas com animais.

Comercialização de Animais

A maioria dos veganos não adquire animais de estimação, evitando contribuir assim para a comercialização dos mesmos. Isto não significa que os veganos não possam ter animais de estimação, há imensos animais abandonados à procura de um lar.

Testes em animais

Os testes de produtos ou dos seus ingredientes em animais são uma das práticas mais cruéis de exploração animal, motivo pelo qual os veganos procuram produtos que além de não conterem ingredientes de origem animal, não sejam testados em animais.
Felizmente, a nível da cosmética, os mesmos são proibidos na União Europeia a partir de 2009, com o Regulamento (CE) n.º 1223/2009 relativo aos cosméticos. Ainda assim, há que ter atenção aos produtos produzidos fora da EU e também de marcas que vendem de China (que obriga os testes em animais em todos os produtos cosméticos).
No caso de produtos farmacêuticos, a experimentação animal continua a ser realizada.

Veganismo

Estilo de vida vegano e a sustentabilidade

De acordo com o maior estudo [2] na área alimentar realizado até agora (e que foi publicado na revista científica Science), embora o impacto da produção de alimentos possa variar até 50 vezes em função dos métodos utilizados, adotar um padrão alimentar de base vegetal é a medida mais importante para reduzir o impacto ambiental.

Incrível, não?

As conclusões deste estudo mostraram que a produção de carne, leite, ovos e aquacultura utiliza 83% dos terrenos agrícolas em todo o mundo, contribuindo para 58% das emissões de Gases de Efeito de Estuda (GEE) relacionados com a produção de alimentos.

Se a população adotasse um padrão alimentar sem produtos de origem animal, haveria uma redução de 76% na utilização de terreno, uma área equivalente ao território dos EUA, China, EU e Austrália juntos.

Para além disso, haveria uma diminuição de 49% na emissão de GEE, 50% na acidificação e 49% na eutroficação. Dito de maneira mais simples, o nosso planeta passaria a respirar muito melhor e não estaria tão sobrecarregado!

Os meios de comunicação referem tanto os transportes públicos no que toca à emissão de CO2, mas ninguém fala sobre os hábitos alimentares! Um dos principais autores deste estudo, Joseph Poore, afirma que adoptar uma alimentação de base vegetal é a medida mais eficiente para reduzir a nossa pegada ambiental, não só a nível de CO2, mas também na utilização de terreno e da água.

Assim, se se preocupa com a sustentabilidade, considere transitar para uma dieta de base vegetal! 🙂
De acordo com o IPCC [3], se todos nós mudássemos para uma dieta sem produtos animais, em 2050 usaríamos menos terrenos, conseguiríamos regenerar florestas, diminuiríamos cerca de 7,8 GtCO2 por ano. Essa redução seria equivalente à utilização global de energia nuclear até agora.

Por isso, cada prato e cada garfada pode ajudar a salvar o planeta, desde que seja composto por alimentos de origem vegetal!

Veganismo

Benefícios para a saúde de uma alimentação de base vegetal

Os benefícios da alimentação vegetariana vão muito para além do bem-estar animal ou do planeta.

Há inúmeros benefícios comprovados para a saúde humana comprovados através de investigações científicas que têm sido realizadas nos últimos 40 anos.

Os benefícios de uma alimentação vegetariana ou de base integral saudável são tremendos, tanto para a saúde física, como psicológica.

Em 2019 saiu um artigo científico [4], que investigou, durante 27 anos e em 195 países, a relação entre os hábitos alimentares e a saúde (imaginem só o trabalho!).

É de notar que esta pesquisa se focava em alimentação em geral, mas os seus resultados mostram que milhões de mortes podiam ser evitadas com uma alimentação de base vegetal.
Este estudo mostra que os maiores fatores de risco para a mortalidade são as dietas ricas em sódio, pobres em cereais integrais, fruta, frutos gordos e sementes, hortícolas, ómega 3 e fibra.

Numa alimentação vegana saudável todos estes elementos estão presentes e fazem parte das refeições do dia-a-dia, evitando assim o aparecimento de doenças.

Alguns dos maiores benefícios comprovados de uma alimentação de base vegetal são a redução da prevalência da doença oncológica, obesidade, doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e aumento da longevidade.
É benéfico incluir o máximo de alimentos vegetais em qualquer tipo de regime alimentar, mas já está comprovado que é ainda melhor evitar ao mesmo tempo os produtos de origem animal.

Foram estas as conclusões do estudo conduzido por Zhang F. [4], no qual durante 8 anos foram acompanhados 29113 participantes.

Os resultados mostraram que consumir alimentos vegetais de qualidade (integrais e não processados) está associado com uma diminuição de 26% do risco de mortalidade total e de 38% do risco de mortalidade por cancro. O mesmo não foi observado com produtos de origem animal pouco processados… o que mostra que as plantas são realmente poderosas!

A alimentação de base vegetal também tem inúmeros benefícios para a saúde psicológica e neurológica. O consumo de vegetais, especialmente os de folhas verde escuras (couve portuguesa, kale, espinafres…) ajuda a diminuir o declínio cognitivo, segundo estudos prospetivos que acompanharam os participantes durante largos anos [5] [6].

Assim, é possível agir e viver pelo bem dos animais, pessoas e planeta ao mesmo tempo, a fazer escolhas conscientes e saudáveis!

Vela de Eucalipto Miristica

Dia Mundial do Veganismo na Miristica

10% de Desconto na Loja Online Miristica

Na Miristica defendemos a liberdade de todos os seres vivos e acreditamos que o Veganismo não é a alternativa, mas sim a solução.

Não compactuamos com a exploração nem com a crueldade animal, seja na nossa alimentação, no vestuário, naquilo que colocamos na nossa pele ou naquilo que fazemos no nosso dia-a-dia.

Queremos partilhar contigo os benefícios deste estilo de vida e incentivar o consumo de produtos livres de crueldade, por isso durante este dia, oferecemos 10% de desconto na Loja Online Miristica!

Como usufruir desta promoção:

O desconto de 10% será obtido sempre que a encomenda seja feita com o código promocional VeganDay2020.
Para usufruir do desconto, é obrigatório aplicar o código promocional antes de finalizar a encomenda.

Para usufruíres deste desconto, segue estes passos:
  • Adiciona os produtos que pretendes ao carrinho;
  • Quando tiveres todos os produtos que pretendes, acede ao teu carrinho e coloca o código promocional no campo “Código promocional”, clicando de seguida em “Aplicar código”;
  • Selecciona o método de entrega e clica em “Prosseguir”;
  • Finaliza a tua encomenda como é habitual.

Promoção válida para todas as encomendas efectuadas na Loja Online Miristica das 00h00m até às 23h59m do dia 1 de Novembro de 2020 e limitada ao stock existente.

Promoção não aplicável aos seguintes produtos: Vales de Oferta, Workshops, Kits e Sugestões de Oferta.
Podes usufruir deste desconto sempre que quiseres enquanto este se encontrar em vigor, não existe um número máximo de utilizações deste código promocional.
Não existe um valor mínimo de encomenda para usufruir deste desconto, se quiseres, por exemplo, encomendar apenas um batom, podes fazê-lo.
Este código promocional não poderá ser utilizado em simultâneo com outros códigos promocionais.

Feliz Dia Mundial do Veganismo

Referências
1 – Infopédia. «veganismo | Definição ou significado de veganismo no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa sem Acordo Ortográfico». Infopédia – Dicionários Porto Editora. Consultado em 12 de julho de 2020

2 – Poore, J., & Nemecek, T. (2018). Reducing food’s environmental impacts through producers and consumers. Science, 360(6392), 987-992.

3 – Arneth, A., Barbosa, H., Benton, T., Calvin, K., Calvo, E., Connors, S., … & Driouech, F. (2019). IPCC special report on climate change, desertification, land degradation, sustainable land management, food security, and greenhouse gas fluxes in terrestrial ecosystems. Summary for Policy Makers. Geneva: Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC).

4 – Afshin, A., Sur, P. J., Fay, K. A., Cornaby, L., Ferrara, G.,Salama, J. S., & Afarideh, M. (2019). «Health effects of dietary risks in 195 countries, 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017» in The Lancet.

5 – Zhang F. (2011). «Plant- and Animal-Based Diet Quality and Mortality among US Adults: National Health and Nutrition Examination Survey, 1999–2010» in American Society for Nutrition.

6 – Morris, M. C., Evans, D. A., Tangney, C. C., Bienias, J. L., & Wilson, R. S. (2006). Associations of vegetable and fruit consumption with age-related cognitive change. Neurology, 67(8), 1370–1376.

7 – Kang, J. H., Ascherio, A., & Grodstein, F. (2005). Fruit and vegetable consumption and cognitive decline in aging women. Annals of Neurology: Official Journal of the American Neurological Association and the Child Neurology Society, 57(5), 713–720.

Autoras deste artigo

Avatar

Inês Avelar

CEO, fundadora e cosmetologista na Miristica. Vegana e apaixonada pela natureza. Procura deixar no mundo uma marca positiva, promovendo a ecologia e a sustentabilidade.

Oksana Zagoruy

Health Coach e mestre em psicologia clínica, apaixonada pela promoção de um estilo de vida saudável. Dedica-se a projetos focados na alimentação saudável.

Subscreve a nossa Newsletter

Subscreve a nossa Newsletter

Fica a par de todas as novidades e recebe dicas e receitas no teu email!

Obrigada pela subscrição!

Share This